15 de março de 2017

Tecnologias adotadas em unidades de referência aumentam produtividade da bovinocultura de leite

 
 As Unidades de Referências de Produção de Leite (UR's), implantadas em áreas de agricultores familiares, têm aumentado a produtividade e a rentabilidade da bovinocultura de leite da agricultura familiar. Já são 25 unidades espalhadas em três Territórios de Identidade da Bahia: Bacia do Rio Corrente, Bacia do Rio Grande e Velho Chico. Esta ação é desenvolvida pela Superintendência de Agricultura Familiar (SUAF), em parceria com a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e a Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (BAHIATER), órgãos vinculados à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Segundo o superintendente da SUAF, Marcelo Matos, o oeste baiano é a região onde o projeto mais avançou. “Lá, são 19 propriedades com muitos avanços. Em Sítio do Mato, o agricultor Carlos Santana, apresentou excelentes resultados financeiro, mudando totalmente a realidade da sua família. Na sua propriedade, a produção de leite triplicou, saindo de 25 para 75 litros/dia. Já a receita mensal, com a venda de leite, aumentou cinco vezes, saltando de R$ 700,00 para R$ 3.500,00.

Na propriedade do agricultor familiar quilombola, Carlos Santana, sua vida mudou, “eu tinha toda a estrutura, mas não conseguia produzir”. O seu imóvel rural virou um modelo para os agricultores da região. Santana relatou que o projeto transformou o padrão de vida da família, pois obteve sucesso. “Eu tenho um produto de qualidade, lucro e o melhor, mantenho minha propriedade e minha família com a produção do leite”, ressalta.

As Unidades de Referência são áreas de agricultores familiares, transformadas em “salas de aulas práticas” com as finalidades de atualizar o conhecimento de técnicos e produtores e, ao mesmo tempo, servir como exemplo, ao demonstrar a viabilidade técnica, econômica, social e ambiental da produção de leite, aumentando o alcance das tecnologias adotadas e contribuindo para o aumento da produção, produtividade e rentabilidade da bovinocultura de leite da agricultura familiar.

“Em oito meses de trabalho, nas primeiras Unidades de Referência, a produtividade aumentou em 70% e o custo de produção do leite reduziu 30%. Por exemplo, um litro de leite era vendido pelo produtor por R$ 1,10 - mas ele gastava para produzir entre R$ 0,90 a R$ 1,10. – trocava dinheiro. Hoje, o beneficiário gasta R$ 0,50 centavos para produzir um litro de leite, aumentando a sua renda em 100%. Os progressos em cada Unidade de Referência dependem das condições do produtor para investir, já que trabalhamos com o que ele já tem na propriedade, sem onerar os seus custos", explica Eduardo Duarte, assistente técnico da CAR e supervisor do projeto.

Nas UR’s são implantadas tecnologias de produção e uso intensivo de pastagens, implantação de reserva estratégica de alimentos para o rebanho em períodos de seca, gestão técnica e financeira da bovinocultura de leite, manejo alimentar, reprodutivo, sanitário, melhoria do conforto e bem estar dos animais, além de tecnologias ambientais. Várias Unidades de Referência já começam a registrar bons resultados.


Ranking - De acordo com dados do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite da Bahia (Sindileite-BA), a Bahia é responsável por 40% da produção de leite do Nordeste, com a produção anual de 700 milhões de litros. O estado possui o 3º maior rebanho leiteiro, a 7ª maior produção de leite do Brasil e ocupa a 23º posição no ranking de produtividade nacional. 

Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR)

Postagens relacionadas

Tecnologias adotadas em unidades de referência aumentam produtividade da bovinocultura de leite
4/ 5
Oleh