25 de março de 2017

O prefeito Uilson Monteiro esclarece em entrevista o porquê do cancelamento do Central Fest 2017

 
O prefeito da cidade de Central/BA, Uilson Monteiro (PSD), havia dito na rádio Central FM, na última quinta-feira (23) que o Central Fest 2017 não seria realizado. A notícia gerou uma grande discussão nas ruas da cidade e redes sociais. Por conta disso, a assessoria do gestor marcou uma coletiva de imprensa no dia seguinte, ou seja, na sexta-feira (24) para esclarecer algumas informações.

O prefeito de Central reiterou logo no início da coletiva que o evento foi cancelado, pois o município passa por um momento crítico, inclusive com determinação de estado de emergência pelo próprio município, estado e encaminhado pela união. Então, seria difícil por esta situação, captar recursos para realizar a festa. ‘ É até mesmo imoral tirar recursos do município para se aplicar em festa, levando em consideração a estiagem e crise que estamos vivenciando’. Monteiro disse que a decisão foi tomada em reunião com todos os secretários e é irrevogável.

O custo para ser feito um evento como o Central Fest fica em torno de R$ 300 mil reais. Monteiro foi otimista e falou que se próximo ano for produtivo, vai realizar um evento a contento para a população de Central. ‘Não existe uma verba específica do município e nem do estado para a realização deste evento. Na maioria das vezes, nós conseguimos fazer com a ajuda de colaboradores e parceiros’. Como gestor, prefiro pagar as contas em dia, pagar os salários dos servidores e cumprir as obrigações’. ‘Para fazer festas, é necessário ter dinheiro sobrando’, salientou.

A suspensão da festa de aniversário da cidade de Central não é um caso isolado. Os eventos tradicionais de Barra do Mendes, Itaguaçu da Bahia, Lapão e João Dourado, por exemplo, também foram cancelados. O motivo alegado pelos gestores é o mesmo: falta de dinheiro nas prefeituras.

Durante o bate-papo, o prefeito Monteiro chamou a atenção das pessoas de Central  e região sobre a importância do armazenamento de água. ‘ Em janeiro do ano passado, por exemplo, muita chuva ocorreu em Central, mas não houve a preocupação das pessoas em guardar a água para amenizar uma crise hídrica que poderia ocorrer.

Outro assunto explanado foi com relação a seletiva que ocorreu no ano passado. Conforme Erick Machado, Secretário de Governo, as pessoas sempre levantam a questão. Monteiro explicou que a seletiva teve um período determinado de um ano, e que a depender das necessidades da gestão, o prazo poderia ser renovado por mais um ano. No entanto, para conter gastos e não comprometer a gestão num momento de crise em vigor, não houve a renovação. O prefeito falou das mudanças da administração, a exemplo de alguns secretários. ‘Na educação, a pasta está ajustando essa questão multisseriada onde vários alunos em séries diferentes são colocados numa única sala e, não aprendem nada’.

O entrevistado finalizou com boas notícias para a população centralense. De acordo com Monteiro, o deputado federal Luiz Caetano conseguiu várias emendas parlamentares para o município. As emendas serão para construção de uma quadra de futsal no povoado de Tanque Novo, zona rural do município, reforma do Hospital Municipal Dr° Antônio Carlos Ribeiro, pavimentação de ruas nas imediações do Posto de Saúde e para reforma e ampliação do Estádio Almir Ribeiro Maciel. O deputado João Bacelar também assegurou emendas para a construção de vários banheiros para a população de Central e recuperação de estradas vicinais que cortam o município. Monteiro disse que através do deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Ângelo Coronel, o município de Central vai receber recursos do Governo do Estado que serão aplicados em pavimentações em alguns povoados.

Fonte: Central Notícia

Postagens relacionadas

O prefeito Uilson Monteiro esclarece em entrevista o porquê do cancelamento do Central Fest 2017
4/ 5
Oleh