4 de outubro de 2016

Outubro Rosa: Tipo raro de câncer de mama ataca a pele

Foto: Reprodução
Dentre os casos de câncer de mama, existe um subtipo raro, agressivo, mas pouco conhecido da população. É o câncer inflamatório de mama, detectado entre 1% e 3% dos casos em todo o mundo, segundo a Sociedade Americana de Câncer.

Um carcinoma que envolve a pele e dá a ela um aspecto de casca de laranja. “Esse tipo da doença evolui rapidamente e traz uma reação inflamatória intensa em toda a região afetada”.

O alerta é do oncologista Artur Malzyner, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos.

Esse tumor requer uma grande quantidade de vasos linfáticos para se desenvolver, por isso acaba ultrapassando a área do nódulo, se sobrepondo na mama.

“A pele fica vermelha, inchada e com um aspecto de casca de laranja, além de causar um ardor e um incômodo grande para a paciente”, conta Malzyner.

Há tratamentos paliativos para aliviar o ardor e a queimação na pele da mama, mas o tumor deve ser combatido com quimioterapia ou radioterapia.

“É um tipo de carcinoma que, apesar da rápida evolução, tem grandes chances de cura”, explica o oncologista. Após o desaparecimento do tumor, a pele frequentemente volta ao normal.

Artur Malzyner lembra que, em caso de anormalidade, seja na aparição de um nódulo ou uma mancha, é importante a mulher procurar seu médico.

“O diagnóstico precoce traz grandes chances de cura”, reforça.

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer, o INCA, o câncer de mama é o primeiro mais frequente nas mulheres das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

Na região Norte, é o segundo tumor mais incidente. A expectativa é que, em 2016, no Brasil, surjam 57.960 casos novos de câncer de mama.

Postagens relacionadas

Outubro Rosa: Tipo raro de câncer de mama ataca a pele
4/ 5
Oleh