5 de setembro de 2016

Setembro Amarelo: mês da valorização da vida e da prevenção do suicídio

O Setembro Amarelo deste ano tem como tema “Conectar, comunicar, e cuidar”. A Campanha vem sendo difundida no Brasil desde 2014, com iniciativa da Associação Brasileira de Psiquiatria, ABP, Conselho Federal de Medicina CFM, e Centro de Valorização da Vida (CVV). O objetivo principal é trazer à tona a discussão sobre suicídio, diminuir o estigma que pesa sobre o tema e que, muitas vezes, acaba dificultando a busca de ajuda profissional. Pelo menos 90% dos casos estão associados a um transtorno psiquiátrico e a principal forma de prevenção é o tratamento dessas condições - e a conscientização das pessoas: falar sobre suicídio salva vidas.

Para o presidente da Associação Catarinense de Psiquiatra (ACP), instituição que promove a campanha em Santa Catarina, Eduardo Pimentel: "O estigma e tabu em relação à divulgação do tema dificultam os pacientes em procurar ajuda. Os comportamentos suicidas, quando identificados por familiares, amigos ou profissionais de saúde, e devidamente abordados, podem evitar este desfecho". O objetivo desta mobilização é ter uma campanha preventiva “de incentivo a vida”, que através de medidas socioeducativos e divulgação na mídia pretende alertar a sociedade a fim evitar mortes prematuras.

Por ser um assunto delicado, informar as pessoas sobre em que casos procurarem a ajuda de um psiquiatra faz parte da Campanha, pois, na maioria dos casos de suicídio, antes de chegar a esse ato de desespero, a pessoa já se encontrava em um quadro grave de depressão ou outro transtorno psiquiátrico. Aproximar a psiquiatria das pessoas, mostrando que procurar ajuda médica é uma boa forma de evitar uma situação drástica.

Histórico da Campanha

Setembro é conhecido internacionalmente como mês de Prevenção ao Suicídio. A campanha iniciou em 2003, com uma parceria entre a Associação Internacional de Prevenção ao Suicídio (IASP) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), e o dia 10 de setembro passou a ser o Dia Mundial de Luta contra o Suicídio.

Por que “Amarelo”?

A cor da campanha foi adotada por conta da trágica história que a inspirou. Em 1994, um jovem americano de apenas 17 anos, chamado Mike Emme, tirou a própria vida dirigindo seu carro amarelo. Seus amigos e familiares distribuíram no funeral cartões com fitas amarelas e mensagens de apoio para pessoas que estivessem enfrentando o mesmo desespero de Mike, e a mensagem foi se espelhando mundo afora.

Dados sobre suicídio

Dados estatísticos divulgados pela OMS estimam que 800 mil pessoas morram por suicídio ao ano no mundo, o que representa uma morte a cada 40 segundos. É a segunda maior causa de morte entre jovens de 15-29 anos, chegando a ser considerada uma epidemia. O Setembro Amarelo tem como objetivo enfatizar que é possível prevenir essa causa de morte, promovendo a valorização da vida.

A Campanha Setembro Amarelo tem como realizadores: Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Associação Catarinense de Psiquiatria (ACP) e Conselho Federal de Medicina (CFM), e em Santa Cantarina conta com o apoio das instituições: FENAM, Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Ministério Público/SC, OAB/SC, Centro de Valorização da Vida (CVV), Sociedade Brasileira de Neuropsicológica (SBNP), INBRANEC, Exército Brasileiro, Polícia Militar de Santa Catarina, Bombeiros/SC, SEST/SENAT, UNISUL, Unimed Joinville e Prefeituras de Santa Catarina. 

Postagens relacionadas

Setembro Amarelo: mês da valorização da vida e da prevenção do suicídio
4/ 5
Oleh