15 de julho de 2016

Câmara de Central cria comissão processante para apurar denúncias de irregularidades do prefeito Uilson Monteiro

Um grupo de quatro cidadãos e cidadãs centralenses formalizaram nesta quinta-feira (14), na câmara de vereadores um conjunto de sérias denúncias contra o prefeito, Uilson Monteiro.

Com farta documentação apresentada, os denunciantes acusam o gestor de fraudes em processos licitatórios, inclusive o da construção do polêmico PSF do bairro Eusébio Brito.

Os denunciantes relatam o pagamento de 627 mil reais no intervalo de apenas dois meses para um escritório de advocacia de Salvador e também o pagamento de mais de 700 mil reais em materiais de iluminação pública e serviços a uma única empresa, incorrendo assim em flagrante processo de fracionamento de licitação, o que é ilegal segundo a Lei, ficando ainda a suspeita sobre a aplicação de valores tão expressivos unicamente em materiais de iluminação pública em um curtíssimo intervalo de tempo.

Dão conta ainda os denunciantes de caso de simulação de demissões em situação de nepotismo, desobedecendo assim orientação do Ministério Público. Atrasos no repasse dos recursos da Câmara; atrasos no pagamento de consignados bancários, provocando o cadastro de servidores nos serviços de proteção de crédito SPC/SERASA; a ilegal cobrança de taxas municipais em espécie, quando uma Lei Municipal determina que o recolhimento deve ser feito unicamente através da rede bancária; acusam ainda o gestor de adulteração de lei municipal incorrendo assim em crime de estelionato e falsidade ideológica.

As citadas denúncias foram colocadas em votação na sessão desta quinta-feira e aceitas pelo plenário pelo placar de sete votos favoráveis e três contrários, sendo na sequência sorteados os vereadores Roberto Lima, Edimária Alves e Joelson Nunes como membros da Comissão Processante que vai apurar as referidas denúncias.

Lamentável essa situação em que se encontra o município centralense. Enquanto isso, falta merenda e gás de cozinha nas escolas; motoristas do transporte escolar estão parando por falta de pagamento e os alunos prejudicados com a falta de aulas; servidores estão com salários atrasados e o povo do município sofrendo as consequências de tudo isso.

Fonte: Central Notícia

Postagens relacionadas

Câmara de Central cria comissão processante para apurar denúncias de irregularidades do prefeito Uilson Monteiro
4/ 5
Oleh