28 de janeiro de 2015

Em duas décadas, fiscais resgataram do trabalho escravo quase 50 mil pessoas

Em mais de duas décadas, mais de 47 mil trabalhadores submetidos a condições degradantes e a jornadas exaustivas em propriedade rurais e empresas urbanas foram resgatados em duas décadas. 

De acordo com dados da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo, obtidos pela Agência Brasil com exclusividade, desde 1995 foram realizadas 1.724 operações em 3.995 propriedades e aplicadas multas indenizatórias cujo valor supera os R$ 92 milhões. 

Foi nesta época, quando foi reconhecida a existência e gravidade do trabalho análogo à escravidão, que o país reformulou o sistema de combate ao trabalho escravo contemporâneo. 

Passados 20 anos da adoção de medidas que intensificaram o combate ao trabalho escravo, o chefe da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo, do Ministério da Trabalho, Alexandre Lyra, disse à Agência Brasil que houve uma migração do ambiente onde se pratica esse tipo de crime, das zonas rurais para as cidades. “No ano passado, por exemplo, fizemos resgate em navio de cruzeiro de 11 tripulantes submetidos à jornada exaustiva. 

Temos agora a construção civil que, em 2013, foi o que mais apresentou resultado, temos o setor têxtil, em São Paulo. Então, temos uma mudança no ambiente em que está ocorrendo esse trabalho, mas a fiscalização, após 20 anos, está preparada para atuar”, disse Lyra.

Postagens relacionadas

Em duas décadas, fiscais resgataram do trabalho escravo quase 50 mil pessoas
4/ 5
Oleh