29 de abril de 2014

Não queria greve, mas a tropa é soberana, diz Prisco

Detido há dez dias no Presídio da Papuda, Brasília, o vereador Marco Prisco (PSDB), principal liderança de greves da PM na Bahia, falou com exclusividade ao A TARDE. Perguntas foram impressas e levadas pelo advogado da Associação de Policiais Militares e Bombeiros e seus Familiares (Aspra), Leonardo Mascarenhas, que esteve com Prisco na cadeia.

Como o senhor descreve o ambiente do Complexo Penitenciário da Papuda? Qual o seu estado de saúde física e mental? 
Como um terror. Estou bem fisicamente, mas mentalmente destruído. Não como, sinto fortes dores de estômago e tenho medo de que isso influencie no meu problema de coração, que é genético. Sinto-me deprimido…

Postagens relacionadas

Não queria greve, mas a tropa é soberana, diz Prisco
4/ 5
Oleh