26 de fevereiro de 2014

Orkut ressurge no Carnaval para comércio de blocos e camarotes

Em tempos de Facebook, Instagram e Whatsapp, o Orkut virou coisa do passado, já era, já morreu. Certo? Mais ou menos... A rede social, que já chegou a ser a mais popular do Brasil no início dos anos 2000, hoje perde feio para o Facebook, mas ainda resiste com aproximadamente seis milhões de usuários – entre eles, aqueles que aproveitam as características da rede para vender abadás e camarotes no Carnaval de Salvador. Isso porque a rede social tem uma característica específica que ajuda quem a utiliza para fins comerciais: as comunidades. Afinal, nada melhor para um vendedor que encontrar potenciais compradores reunidos em um mesmo lugar. O advogado baiano Fábio Castro, 33 anos, comprou um abadá do bloco Camaleão para o Carnaval de 2014, mas houve um imprevisto e ele acabou desistindo de ir à folia. Na comunidade “Carnaval de Salvador - É AQUI!”, postou um anúncio: “Vendo Camaleão Completo R$ 3.300, 3 dias”. “Apesar de o Facebook estar mais forte, a cultura de comunidades continua mais pujante no Orkut”, afirmou o advogado. Para se garantir, ele também anunciou no Facebook, mas atestou: “Recebi ligações tanto de uma rede quanto de outra. Não acho que o Orkut morreu, não!”. (Correio)

Postagens relacionadas

Orkut ressurge no Carnaval para comércio de blocos e camarotes
4/ 5
Oleh