23 de dezembro de 2013

Eleição de 2014 entra na agenda dos políticos e altera perfil dos governos

Na Assembleia Legislativa, apenas dois dos 63 deputados não tentarão a reeleição em outubro. Na Câmara Municipal de Salvador, 20 dos 43 vereadores já comunicaram a seus partidos que vão disputar uma das cadeiras na Assembleia ou na Câmara dos Deputados.

Quem ocupa cargo de secretário na prefeitura de Salvador ou no governo do estado terá de se desincompatibilizar da função, até abril, para poder participar do pleito. Deputados e vereadores não têm esta obrigação.

Os deputados estaduais estão bastante animados com o próximo pleito, apesar da concorrência de um calendário de eventos com força para mobilizar a atenção da população, como o Carnaval, que invade a primeira semana de março,  o São João e a Copa.

Da bancada de 63 deputados, somente o presidente da Casa, Marcelo Nilo (PDT), e o deputado Herbert Barbosa (DEM) não disputarão a eleição no próximo ano.
Pré-candidato a governador em 2014, Nilo garante que não há chance de vir a concorrer a mais um mandato de deputado estadual.

“Se eu não for convidado para ser o vice na chapa encabeçada por Rui Costa (PT), manterei minha candidatura ao governo e abro mão de  conquistar o meu sétimo mandato”, informou o pedetista.

Postagens relacionadas

Eleição de 2014 entra na agenda dos políticos e altera perfil dos governos
4/ 5
Oleh