7 de outubro de 2013

Dilma cede ao PMDB e quer votar minirreforma eleitoral

A presidente Dilma Rousseff determinou hoje, durante reunião com líderes da base na Câmara, que aliados liberem a pauta de votações para a análise da medida provisória que cria o programa Mais Médicos, do governo federal. 

  Trata-se, na realidade, de uma concessão ao PMDB, que ameaçou, na semana passada, derrubar a MP caso o projeto que trata da minirreforma eleitoral continuasse sendo alvo de obstrução sobretudo do PT. Os petistas operam para derrubar o projeto e, desde a semana passada, obstruíram durante duas sessões a análise do projeto pela Câmara. 

  A minirreforma eleitoral trata, entre outras medidas, de acabar com amarras para uso nas campanhas do dinheiro  público que financia os partidos, limitar ao "exame formal dos documentos contábeis e fiscais apresentados pelos partidos" na análise de suas prestações de contas, e considera propaganda eleitoral antecipada pronunciamentos que contenham críticas a partidos.

QUEIXAS
Em quase três horas de reunião, Dilma ouviu queixas do líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), que condicionou a aprovação da MP do Mais Médicos à análise da minirreforma eleitoral. Diante de resistência no próprio partido, Dilma pediu ao PT, junto com demais partidos da base, se comprometesse a votar a minirreforma, mesmo que fosse contra. 

Na próxima semana, Dilma deverá se reunir novamente com líderes da base na Câmara e no Senado, desta vez para discutir Marco Civil da Internet. O projeto tornou-se cavalo de batalha da presidente, diante das recentes denúncias de espionagem contra ela e o governo.

Postagens relacionadas

Dilma cede ao PMDB e quer votar minirreforma eleitoral
4/ 5
Oleh